Apresentação

Em Moçambique, a pesca artesanal/subsistência contribui com mais de 50% dos desembarques de pescado. Altos níveis de pobreza e rápido crescimento populacional são prevalentes, e nas comunidades costeiras a captura de pescado é essencial como fonte de alimento e para assegurar o funcionamento dos sistemas sociais e económicos.

O CCMAR-Centro de Ciências do Mar (sediado na Universidade do Algarve) coordena um projeto em cooperação com a Escola Superior de Ciências Marinhas e Costeiras (Universidade Eduardo Mondlane), IIP – Instituto de Investigação Pesqueira (Polo de Quelimane) e CESAM – Universidade de Aveiro, que visa aumentar a qualidade de vida das comunidades piscatórias e do sector da pesca artesanal e de subsistência em Quelimane, Moçambique.

BIOFISH-QoL (Quality of Life) – Abordagem integrativa para melhorar a qualidade de vida nas comunidades piscatórias do estuário dos “Bons Sinais” (Moçambique) – é um projeto financiado pelo FCT e Aga Khan Development Network (AKDN) que teve inicio em 1 de Novembro de 2018 e o seu lançamento oficial em Quelimane ocorreu a 22 de Fevereiro de 2019, contando com a Presença dos reitores das Universidades, investigadores dos centros de investigação deste projeto, lideres comunitários, representantes dos pescadores das aldeias locais do estuário dos Bons Sinais e o diretor regional das pescas nesta província (Zambézia) de Moçambique.

Este projeto visa aumentar o conhecimento e desenvolver a pesquisa científica que serve de base para melhorar a qualidade de vida nos países africanos de língua portuguesa (PALOP), nomeadamente para aumentar o conhecimento em biologia, ecologia, atividades socioeconómicas e pesqueiras no estuário de Bons Sinais, Moçambique. Este estuário é utilizado diariamente por populações locais altamente dependentes da pesca de subsistência como fonte de alimento. Apesar da importância das pescarias na área, não há informações científicas disponíveis (biológicas, ecológicas ou socioeconómicas) que apoie um plano de gestão sustentável da pesca e da conservação da biodiversidade marinha a longo prazo.

O projeto visa capacitar os cientistas de Moçambique com as ferramentas para poderem desenvolver, independentemente, a sua investigação ligada à biologia pesqueira, conservação da biodiversidade, gestão dos recursos e avaliar a importâncias do sector socioeconómico das pescas para as comunidades locais.